Polícia investiga suposto latrocínio em Campinas

A polícia investiga a hipótese de latrocínio para a morte da aposentada Nilza Helena dos Reis Silva, de 52 anos, levada por um homem na manhã de quarta-feira, 16, em Campinas, junto com a caminhonete S 10 da família. Seu corpo foi encontrado à noite em um matagal, dentro de uma fazenda no distrito de Joaquim Egidio, com um tiro na nuca. Ela foi sepultada nesta quinta-feira, 17, no Cemitério das Aléias, em Campinas. A aposentada havia sido rendida quando seu marido, o técnico da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) Hélio Dias Silva, de 53 anos, trafegava com a caminhonete pelo bairro Ponte Preta. Segundo seu depoimento aos investigadores do 12º Distrito Policial, ele estaria levando a esposa para uma consulta médica quando o veículo foi fechado por um Fiat Uno. Dois homens armados exigiram a caminhonete e levaram a aposentada. O técnico ficou com o outro homem. Ele disse que o bandido não fez saques em caixa eletrônico, mas trocou de carro duas vezes, tendo rodado seis horas dentro do porta-malas. Depois, ele foi abandonado às margens da Rodovia Adhemar de Barros (Campinas a Mogi Mirim). Ele procurou a polícia, acreditando se tratar de um seqüestro. O corpo da aposentada foi localizado no começo da noite por um trabalhador rural e identificado pelo marido. A policia ainda não localizou a caminhonete e busca pistas dos dois homens que renderam o casal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.