Polícia já tem pista que pode identificar maníaco de Guarulhos

Policiais do 73.º Distrito Policial no Jaçanã, zona norte de São Paulo, já têm uma pista importantepara identificar o maníaco de Guarulhos: um cinto de roupão comuma mancha de sangue. Com ele, o maníaco tentou estrangular umamulher na quarta-feira, no Parque Edu Chaves, zona norte."Provavelmente esse sangue seja do assassino", disse o chefedos investigadores, Talma Bauer. A peça está no Instituto deCriminalística, para exame de DNA. A vítima, a recepcionista Kely Cristina de Sousa, de 21anos, confirmou o retrato falado do bandido e disse que ele éalbino, com sardas na testa. Kely saia de casa às 10 horas para colocar o lixo nacalçada, na Rua Antônio Borges, quando foi dominada pelo homem.Armado de revólver, a obrigou a entrar na residência. "Aintenção dele não era me violentar, mas me matar", contou aospoliciais. "Ele me deu socos na testa e na boca e, apanhando ocinto do roupão que estava sobra o sofá, tentou meestrangular." Uma vizinha ouviu gritos e chamou a polícia. Cerca de 30investigadores, auxiliados por helicóptero, cercaram oquarteirão durante duas horas e meia. Mais de mil moradoresarmados de pedaços de pau e garrafas procuravam o bandido. Oagressor conseguiu escapar, pulando pelos telhados, e levando R$300.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.