Polícia liberta comerciante depois de 20 dias de seqüestro

Foram 20 dias de cativeiro passados dentro de um barraco de madeira de 2 m², no meio de um matagal do bairro de Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo. O comerciante Djalma Correa Sanzana foi solto pela polícia na noite de sábado depois da prisão de três de seus seqüestradores. Sua família já havia pago uma parte do resgate, mas a quadrilha queria mais. A cobiça dos bandidos permitiu à Divisão Anti-Seqüestro (DAS) identificar o bando, deter dois homens e uma mulher e encontrar o cativeiro.Na noite do seqüestro, o bando telefonou para a família e exigiu R$ 600 mil de resgate, o que os parentes do comerciante não tinham condição de pagar. A família negociou e fechou um acordo para pagar R$ 17 mil. Os bandidos, porém, não libertaram a vítima ? sabia-se que o comerciante estava vivo porque os seqüestradores permitiram que ele conversasse com os parentes por telefone.Isso permitiu à DAS descobrir uma das casas usadas pela quadrilha, na Cohab Itaquera. Na tarde de sábado, os investigadores da 2.ª Delegacia da DAS foram ao local e conseguiram deter o motoboy Damião André da Silva, de 24 anos, Ulisses Xavier dos Reis, de 21, e Isabel Cristina Gonçalves da Silva, de 29. De acordo com o delegado, Ulisses confessou a participação no crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.