Polícia liberta estudante seqüestrado em São Paulo

O estudante universitário T.U.M, de 17 anos, foi libertado nesta terça-feira de um cativeiro em São José dos Campos, a 100 quilômetros de São Paulo, no Vale do Paraíba, depois de ter ficado por cinco dias em poder de uma quadrilha de seqüestradores. Ele foi abordado na quinta-feira quando ia para a faculdade, em Caraguatatuba, no litoral norte.Sem reagir, o estudante foi levado para um cativeiro em São José dos Campos, onde permaneceu nos dois primeiros dias. Depois, foi transferido para uma outra casa, na mesma cidade.Durante os cinco dias, o universitário ficou amarrado pelas pernas com cabos de aço e foi ameaçado de morte. "Na última noite, antes do pagamento do resgate, achei que ia morrer", afirmou. "Eles me davam coronhadas, cobriram minha cabeça e disseram que iam me matar."A família informou que pagou 10% do valor do resgate pedido inicialmente. Segundo informações extra-oficiais, foram pagos R$ 20 mil à quadrilha. De acordo com o pai da vítima, um comerciante de Ubatuba que pediu para não ser identificado, o dinheiro foi dado a uma mulher na rodovia Presidente Dutra, perto de São José dos Campos. "Eles falaram que iam entregar meu filho logo depois, do outro lado da pista", disse. "As horas foram passando e fui ficando desesperado. Quando amanheceu, resolvi ir até a delegacia."Uma equipe da Delegacia Anti-Seqüestro resolveu estourar o segundo cativeiro. As ligações estavam sendo rastreadas pela polícia desde quinta-feira, quando o estudante foi seqüestrado. No momento em que a polícia estourou o cativeiro, foram presos os suspeitos Roberto Almeida e Wesley Martins. A polícia suspeita que a quadrilha tenha cinco integrantes. Uma empregada doméstica que trabalhou na casa do estudante deu informações para os seqüestradores. Ela também foi presa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.