Polícia liberta mulher de cativeiro na zona sul

Seqüestrada por volta das 13 horas de domingo, numa rua da zona sul da capital, uma mulher de 37 anos foi libertada pouco antes das 20 horas por policiais militares. Alguém que passava próximo à favela Pirajuçara, no Jardim Elizabeth, também na zona sul, a avistou numa janela da casa em que estava em cativeiro, gritando por socorro. Quando a polícia chegou, a vítima estava amarrada com fio de cobre e chorando compulsivamente. Antes de ser levada à delegacia de Campo Limpo para registro da ocorrência ela passou no hospital do bairro para ser medicada.Casada com um comerciante, ela dirigia seu Corsa quando foi fechada por um Astra ocupado por três homens. Dois deles, armados, desceram e passaram para o carro da vítima e a levaram para o cativeiro, numa viela da favela, seguidos pelo terceiro marginal que dirigia o Astra. Lá ela foi amarrada e torturada. Os criminosos pingaram parafina de uma vela acesa em suas mãos, para que fornecesse o telefone do marido e, depois, para que ele ouvisse seus gritos, enquanto exigiam um resgate de R$ 50 mil.Ao se ver sozinha, já no início da noite, aproximou-se da janela e mostrando as mãos amarradas, começou a gritar por socorro, o que pode ter feito os marginais abandonarem o local. Nenhum dos vizinhos tomou qualquer providência, provavelmente por temer represália da parte dos seqüestradores. Um transeunte, porém, a viu na janela e, depois de encontrar um local seguro, ligou para a PM. O carro da vítima ainda não foi localizado pela polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.