Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Polícia liberta refém e prende seqüestradores em Salvador

Quatro seqüestradores mortos, outros quatro presos, refém libertada sem ferimentos e dinheiro do resgate recuperado. Este é o resultado da operação realizada em Salvador, na madrugada desta quinta-feira, pela polícia baiana que investigava o seqüestro de Helena Lisboa, de 65 anos, mulher do engenheiro Antonio Lisboa. Eles moram numa fazenda do município de Santa Inês, a 302 quilômetros de Salvador.Os seqüestradores armados de pistolas e escopetas invadiram a Fazenda Ipuema da família Lisboa na noite de segunda-feira e depois de vasculhar o local sem encontrar dinheiro resolveram levar Helena. No dia seguinte os líderes teriam negociado o pagamento do resgate, fixado em R$ 50 mil. A quadrilha exigiu que o dinheiro fosse entregue por um membro da família a um menor na Estação Rodoviária de Salvador na noite da última quarta-feira.Equipes da polícia, comandadas pelos delegados especiais Sérgio Malaquias e Jacinto Alberto, seguiram o garoto que levou o dinheiro até quatro membros da quadrilha no Bairro de São Marcos periferia de Salvador. Os bandidos foram cercados por volta das 3h15 da madrugada e trocaram tiros com os policiais.Dois seqüestradores foram mortos e os que conseguiram escapar foram seguidos até o cativeiro, uma casa situada na Avenida Gal Costa. Num novo tiroteio, mais dois bandidos foram mortos, entre eles o capixaba Carlos Alexandrino dos Reis, considerado um dos líderes da quadrilha.O outro líder, identificado como Jonas, saiu gravemente ferido e está internado no Hospital Geral do Estado. As quatro pessoas que estavam no cativeiro tomando conta de Helena foram presas. No local, a polícia apreendeu também máscaras, luvas, celulares, uma escopeta e certa quantidade de maconha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.