Polícia mata 5 suspeitos de envolvimento em quadrilha

Policiais civis e militares mataram cinco suspeitos de envolvimento com a quadrilha de assaltantes que está agindo em Dourados, a 220 quilômetros de Campo Grande, desde sábado.Da madrugada deste domingo até esta segunda-feira aconteceram três tiroteios durante perseguições aos bandidos - a princípio são onze -, que roubaram R$ 100 mil da empresa de segurança bancária Cifra, no sábado à noite, supostamente para financiar a fuga de comparsas presos na Penitenciária de Segurança Máxima Harry Amorim Costa, de Dourados.No final da tarde deste domingo, dois suspeitos do assalto foram baleados por policiais e morreram. Nesta segunda pela manhã outros três foram mortos durante troca de tiros com policiais em um matagal.A Polícia ainda não divulgou os nomes dos mortos. Pouco depois de 1h deste domingo, o sargento da PM Fábio Gomes foi baleado na cabeça, ao ser surpreendido por três assaltantes que utilizavam motocicletas. Ele está internado em coma no Hospital Evangélico do município. Sabe-se que entre os mortos está Sirio Cordeiro, que fugiu do presídio Carandiru, na zona norte da capital paulista, em julho deste ano.Quatro integrantes da quadrilha estão presos na sede do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), em Dourados - Fábio Augusto Simões, Márcio Viana dos Santos e Antonio Belo, todos residentes em Dourados, além de Luciana Castro, que é de São Paulo.Luciana chegou à cidade há dois meses e alugou uma casa, onde morava com um dos assaltantes. A residência foi utilizada como "QG" da quadrilha para o planejamento da fuga de presos de São Paulo que cumprem pena na Harry Amorim Costa.No matagal onde os três assaltantes foram mortos foram encontrados R$ 74.037,00, uma pistola 45, três pistolas 9mm, três escopetas, uma metralhadora, munição de armas de grosso calibre, uma granada e três celulares.Funcionários que preferem não ser identificados disseram que desde o início da semana passada há boatos sobre fuga uma em massa do Harry Amorim Costa.O grupo seqüestrou cinco pessoas no sábado - o gerente da empresa de segurança e dois casais que estavam de moto. O gerente foi libertado no domingo pela manhã. Os casais continuam desaparecidos.Para o governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, os crimes praticados pelos onze assaltantes - o seqüestro de cinco pessoas, resistência à voz de prisão, assalto à mão armada em Dourados, durante os últimos três dias consecutivos - são fatos isolados.Sobre mais reforço na Segurança Pública ressaltou que "todos os investimentos destinados ao setor já foram devidamente destinados". O prefeito do município, Laerte Tetila (PT), disse que "rebeliões e fugas de presos ocorrem todos os dias no País".

Agencia Estado,

01 de outubro de 2001 | 21h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.