Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Polícia Militar do Rio entra em estado de prontidão; folgas estão suspensas

A presença de policiais rodoviários em determinadas áreas será intensificada e 13 presos que integram facções criminosas devem ser transferidos do Estado

Pedro Dantas - O Estado de S. Paulo,

24 Novembro 2010 | 09h52

RIO - A Polícia Militar do Rio de Janeiro entrou em estado de prontidão na manhã desta quarta-feira, 24. Todas as folgas estão suspensas e os policiais estão sendo convocados para retornar aos batalhões em todo o Estado. A medida foi assinada agora há pouco pelo comandante-geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte.

 

O secretário de Estado de Segurança, José Mariano Beltrame, disse em entrevista coletiva de imprensa na terça-feira, 23, que acionará a Força de Segurança Nacional caso seja necessário. Além disso, será intensificada a presença de policiais rodoviários em determinadas áreas e 13 presos que integram facções criminosas devem ser transferidos do Estado.

 

Ipanema. O Esquadrão AntiBombas do Rio de Janeiro informou que não havia nada dentro da caixa de madeira abandonada em Ipanema, na zona sul da cidade. A unidade foi acionada por volta das 9h30 para averiguar uma suspeita de bomba no local.

 

A caixa de aproximadamente um metro de comprimento fechada com um cadeado foi deixada nas proximidades da Rua Visconde de Pirajá, perto da uma cabine da Polícia Militar. A área foi isolada por precaução. Nenhum artefato explosivo foi encontrado.

 

Incêndios. Mais um ônibus foi incendiado no Rio de Janeiro na manhã desta quarta-feira, 24, durante a série de ataques feita por criminosos. Com essa nova ocorrência, chega a 13 o número de veículos incendiados entre o final da noite de terça-feira, 23, e a manhã de hoje. O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a ocorrência em Vicente de Carvalho, na zona norte da cidade, por volta das 7h40, perto de uma estação de Metrô. O fogo destruiu completamente o coletivo. Ninguém ficou ferido.

Veja também:

link Presos no PR teriam ordenado os ataques

link Governo federal põe polícia em estradas

link Turismo teme prejuízos por causa da violência

link Barreto oferece ao Rio Força Nacional; Cabral pede reforço da PRF

especial'Só UPP não vai resolver o problema de segurança'

especial Sociólogo vê alarme exagerado com arrastões no Rio

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

Durante a noite, na região metropolitana e na Baixada Fluminense, criminosos também incendiaram veículos e atacaram pelo menos uma base da Polícia Militar, pertencente ao 15º Batalhão. Os bandidos passaram de carro pelo local e efetuaram disparos de metralhadora contra a base. Nenhum policial ficou ferido.

 

(Com Priscila Trindade e Ricardo Valota, da Central de Notícias)

 

Mais conteúdo sobre:
Rio ataques Polícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.