JOKA MADRUGA/FUTURA PRESS
JOKA MADRUGA/FUTURA PRESS

Polícia Militar e professores entram em confronto em Curitiba

Policiais disparam balas de borracha e lançaram gás de pimenta contra docentes que estão em frente à Assembleia Legislativa, pressionando contra votação de projeto

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

28 Abril 2015 | 16h30

CURITIBA - Centenas de professores e policiais entraram em conflito no final da manhã desta terça-feira, 28, em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alesp). A confusão aconteceu quando docentes tentaram aproximar um carro de som do prédio, que está pelo segundo dia consecutivo cercado. A polícia disparou balas de borracha e também usou gás de pimenta.

Os professores e outras categorias de servidores - como os de Saúde, que estão em greve - acompanham a votação do pacote de medidas encaminhado para a Alep que autoriza o governo a utilizar cerca de R$ 6 bilhões do Paraná Previdência, o fundo de previdência dos servidores, para cobrir um déficit da administração.


Em fevereiro, o governo tentou aprovar o mesmo projeto com outras medidas fiscais, mas em regime de urgência e sem debate. Ocupantes ocuparam parte do plenário, impedindo a votação.

O projeto de lei deverá ser votado nesta quarta-feira, 29, após passar pelas análises das comissões dentro da Alep.

Mais conteúdo sobre:
ParanáCuritiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.