Polícia na Bolívia prende quadrilha com armas destinadas ao Brasil e Paraguai

Bando em Santa Cruz era formada por bolivianos, dois brasileiros e um boliviano-americano

O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2017 | 19h56

A polícia da Bolívia desarticulou nesta segunda-feira, 4, na cidade de Santa Cruz uma quadrilha de tráfico de armas formada por bolivianos, dois brasileiros e um boliviano-americano que tinham 27 armas com o objetivo de levá-las a Brasil e Paraguai.

O ministro de Interior boliviano, Carlos Romero, detalhou nesta segunda em entrevista coletiva que as armas são de uso militar, calibre 5.56 e que também foram confiscados celulares, sete veículos e US$ 7.300.

"Possivelmente, os integrantes desta organização de tráfico de armas seriam os fornecedores para organizações criminosas dedicadas a assaltos violentos", disse Romero.

As armas chegaram à Bolívia por meio de serviços de transferência, estavam descarregadas e camufladas como peças agrícolas ou de veículos que vinham do porto chileno de Iquique.

Romero indicou que estas armas em alguns casos tinham mira telescópica e um alcance de até 500 metros.

Por sua vez, o comandante departamental da polícia de Santa Cruz, Ruben Suárez, informou que o armamento estava de passagem pelo país e seu destino final era o Brasil e o Paraguai.

A polícia não identificou o fornecedor da mercadoria, mas, sim, o suposto líder da quadrilha, Miguel Ángel Suárez, agora detido e contra quem havia duas ordens de prisão, segundo a imprensa.

Em um caso que data do último mês de fevereiro, a polícia também relacionou Suárez com uma carga de 72 armas provenientes dos Estados Unidos, descobertas no fundo falso de um contêiner. /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.