Policia não tem pista de assassino de empresário

A polícia não prendeu ninguém e também ainda não tem nenhuma pista sobre os assassinos do dono da distribuidora de combustíveis Brasil Petro, Hipólito de Oliveira, de 48 anos, que foi morto com um tiro na cabeça, no final da tarde de sábado, quando chegava em sua residência, no Jardim América, em Paulínia, na região de Campinas. O empresário vinha recebendo ameaças de morte nas últimas semanas, reforçou a sua segurança, mas não conseguiu evitar o crime.O dono da distribuidora passou o sábado fora. Quando ele retornava para casa, teria dispensado o segurança que o acompanhou o dia todo em vários compromissos. A perícia técnica esteve no local. A família não quis falar sobre o crime nem das ameaças que o empresário vinha recebendo. O delegado Tadeu Aparecido Brito de Almeida está trabalhando no caso desde a noite de sábado. Ele, porém, não revelou detalhes do crime para não prejudicar as investigações.A polícia acredita que os assassinos conheciam muito bem os hábitos do empresário. O delegado começa ouvir a partir de amanhã os familiares do empresário. Ele quer saber os detalhes das ameaças que o dono da distribuidora vinha sofrendo. O assassinato de Oliveira foi o 11º homicídio ocorrido na região de Campinas entre a noite de sexta-feira e a madruga de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.