AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Polícia nega que homem tenha mantido parentes reféns

O comissário de polícia da delegacia de Camaragibe, Luciano Santos, não confirmou a versão de que o desempregado Antonio Luiz Guilherme, de 28 anos, tenha feito a família refém na manhã desta quarta, 10, no município de Camaragibe, na região metropolitana de Recife. Na delegacia, testemunhas revelaram que o acusado morava no bairro da Várzea, na capital, e chegou na noite de terça-feira, 9, na casa da tia Maria das Neves Conceição pedindo para passar a noite. Trazia uma faca no quadril e não acatou os pedidos da tia para retirá-la. Ele não teria conseguido dormir e, antes de amanhecer o dia aparentava estar "surtado" e com visões, tornando-se violento e investindo contra a tia e os primos. Guilherme matou a tia com 12 facadas, no início desta manhã. Antes do crime, ele destruiu parcialmente a casa Com a faca, o desempregado também feriu os primos Maurílio Antonio da Silva, que está internado no Hospital Getúlio Vargas, no Recife, e Severino Galdino da Silva, que teve ferimentos leves. O próprio acusado foi internado à tarde no Hospital da Restauração, onde ficará sob custódia policial, até receber alta. Ele se feriu na barriga e na perna, com a sua faca, quando não quis entregá-la aos policiais militares que conseguiram desarmá-lo. "Ele chegou aqui (na delegacia) calmo, tranqüilo, dizendo que estavam querendo derrubar a casa e ele terminou matando a tia", contou Luciano Santos. A polícia não descarta a possibilidade de o crime ter sido motivado por rixa familiar. Antonio foi autuado em flagrante por homicídio e lesão corporal, mas só prestará depoimento oficial depois que sair do hospital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.