Polícia pede exame psiquiátrico em acusada de matar idosa

A polícia de Luiz Antônio, na região de Ribeirão Preto, abriu inquérito e encaminhou o pedido de um laudo para saber se Sônia Aparecida Medeiros Faiani, de 45 anos, tem problemas psiquiátricos. Sônia foi presa em flagrante no último sábado, como a principal suspeita de ter assassinado Maria de Arruda Lameiro, de 93 anos, usando uma faca e uma barra de ferro. A filha de Maria a encontrou, num dos quartos, com um profundo corte na barriga e sinais de extrema violência e sangue-frio. A necrópsia realizada no Centro de Medicina Legal (Cemel), de Ribeirão Preto, apontou que Maria, que morava sozinha, teria sido cortada viva, pois as duas pancadas que recebeu na cabeça foram suficientes apenas para desmaiá-la. Uma camisa de Sônia, que havia fugido do posto de saúde, numa crise de esquizofrenia, foi encontrada na casa de Maria. Sônia, que teria tomado banho após o crime, vestia uma camisa da vítima. Sônia está presa na Cadeia de São Simão. As duas não se conheciam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.