Reprodução
Reprodução

Polícia portuguesa investiga se morte de modelo brasileira foi homicídio

Corpo de Jeniffer Viturino foi encontrado em frente a prédio do ex-namorado, após queda do 15º andar, em Lisboa

Estadão.com.br,

11 Abril 2011 | 15h05

SÃO PAULO - A Polícia Judiciária de Lisboa, em Portugal, investiga se a morte da modelo brasileira Jeniffer Viturino, de 17 anos, após ela cair do 15º andar de um prédio no bairro de classe média alta Parques das Nações, pode ter sido um homicídio. O Itamaraty diz que o Consulado brasileiro acompanha as investigações, mas não tem detalhes sobre o caso, que corre em segredo de Justiça. Informações devem ser repassadas após o término do inquérito. 

 

O corpo de Jeniffer foi encontrado na manhã de sexta-feira (hora local) por seguranças do edifício onde, segundo o jornal português Correio da Manhã, mora o ex-namorado da modelo, o empresário Miguel Alves da Silva, de 31 anos.  

 

De acordo com o Correio da Manhã, a Polícia Científica encontrou hematomas e escoriações, principalmente no peito da modelo, que vivia com a família na capital portuguesa. Conforme o jornal, vestígios foram coletados no local onde Jeniffer caiu e de dentro do apartamento de Miguel, que não deu declarações a imprensa.

 

Dentre o material coletado está uma carta que teria sido deixada pela modelo. No documento, Jeniffer diz "estar farta da situação de violência" e que se "sentia culpada pelo fim do relacionamento". A mãe dela diz, no entanto, não reconhecer a filha na mensagem. Apesar disso, Solange Viturino prefere aguardar a autópsia antes de falar em culpados.

 

Violência. Mesmo com o fim do namoro de aproximadamente um ano, a mãe de Jeniffer disse ao Correio da Manhã que a filha continuava a se encontrar com Miguel "por paixão". Além disso, ela confirmou que houve cenas de violência entre o casal durante o relacionamento, como em uma vez que voltou para casa chorando, após uma festa, dizendo ter sido espancada pelo ex.

 

Para Solange, Miguel diz que teve uma discussão com a modelo e que foi dormir, sozinho, no quarto, enquanto a brasileira ficou na sala, e que no dia seguinte não a encontrou no apartamento. Quando olhou pela janela, viu o corpo de Jeniffer caído no térreo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.