Polícia prende 44 integrantes de quadrilha de hackers

Quarenta e quatro prisões em sete estados brasileiros. Esse foi o saldo da Operação Scan, realizada, nesta terça, para desbaratar uma quadrilha de hackers que atuava em Pernambuco, Paraná, São Paulo, Bahia, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte, roubando senhas bancárias de correntistas através do envio de e-mails infectados com um vírus especialmente criado para coletar informações confidenciais dos usuários. As prisões foram efetuadas a partir de mandados expedidos pela 6ª Vara Federal de Campina Grande. Cerca de 200 policiais federais participaram da operação. Em Pernambuco, o estudante universitário Bruno Alan Moreira de Lima, de 23 anos, foi detido em sua residência, localizada no bairro do Ipsep, zona Sul do Recife. De acordo com a assessoria de Imprensa da PF (PE), o rapaz era um dos operadores do esquema montado pela quadrilha. Bruno seria o responsável pela transferência do dinheiro desviado para contas-laranja. O estudante - que não resistiu à prisão - prestou depoimento, no início da tarde, aos policiais federais e permanece detido na sede da PF, localizada no Cais do Apolo, região central do Recife. A previsão é de que Bruno deverá ser transferido nesta quarta para o Centro de Observação e Triagem, instalado no município de Abreu e Lima, na Região Metropolitana. De acordo com informações da PF, o rapaz será indiciado pelos crimes de furto qualificado, formação de quadrilha, interceptação ilegal de dados de informática e quebra de sigilo bancário. Estimativas da PF da Paraíba - onde estaria radicado o comando da quadrilha - os prejuízos causados pelo grupo já teriam ultrapassado a soma de R$ 300 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.