Polícia prende acusado de seqüestro e liberta casal

A polícia prendeu o seqüestrador Marco Antônio Mendes, de 33 anos, acusado de pelo menos dez seqüestros ocorridos na Grande São Paulo desde o começo do ano. A prisão dele permitiu à Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo achar, nesta quarta-feira à noite, um cativeiro onde estava um casal seqüestrado no dia 27, na zona sul de São Paulo.O engenheiro E.G., de 55 anos, e sua mulher, a aposentada N.G., de 57 anos, foram libertados. A seqüestradora J.S.F., de 17 anos, foi presa após ser baleada de raspão em um dos braços - ela sacou um revólver e tentou atirar nos policiais.O engenheiro tinha marcas de tortura nas mãos: os bandidos apagavam cigarros nele para ameaçá-lo. Mendes ia alugar o mesmo cativeiro para deixar uma vítima cujo seqüestro estava planejando. O lugar, uma chácara na região da 2ª Balsa, em São Bernardo do Campo, pertencia a outra quadrilha de seqüestradores.Segundo o delegado Mário Jordão Toledo Leme, titular da delegacia seccional, Mendes estava sendo investigado havia três meses. A Justiça decretou sua prisão temporária. "Ele confessou três seqüestros na região do ABC e sete em São Paulo.?Em abril, a Divisão Anti-Seqüestro (DAS) conseguiu libertar três vítimas em poder da quadrilha liderada por Mendes. Um dias antes, o grupo havia libertado, após pagamento de resgate, uma quarta vítima, o estudante Henrique José Bertolucci, de 19 anos, filho do ex-pró-reitor de Assuntos Sociais da Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul).Mendes foi preso na Rua 7 de Abril, no centro de São Paulo, quando ia se encontrar com um membro de seu bando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.