Polícia prende autores da chacina em Minas Gerais

A polícia prendeu nesta terça-feira os dois autores da chacina de quatro pessoas de uma mesma família, na madrugada de segunda-feira, em Ipatinga, no Vale do Aço de Minas Gerais. Um dos acusados era parente das vítimas. Em depoimento, Cleisson Andrade do Amaral, 25 anos, e André Gonçalves Vieira, 22 anos, confessaram que cometeram os crimes para roubar dinheiro e pagar uma dívida a traficantes de drogas. Os corpos, encontrados degolados numa casa no bairro de Cidade Nobre, foram enterrados no Cemitério Municipal de Ipatinga, sob a comoção de centenas de pessoas. Os dois homens disseram que pretendiam apenas roubar a casa, mas, sob efeito de drogas, acabaram matando as quatro pessoas. André Gonçalves Vieira, conhecido como "Teteco", disse que encontrou a mãe, a avó e a irmã menor, de apenas 9 anos, mortos pelo comparsa, conhecido como "Nêgo", que tem passagem pela polícia por envolvimento com o tráfico. Em seguida, ao ser reconhecido, também degolou o avô. "Estava sob efeito de drogas. Mas, como o Nêgo já havia matado os três, fui obrigado a matar também meu avô, que me reconheceu, chamando meu nome. Estou muito arrependido. Isso não deveria ter acontecido", disse o criminoso após seu depoimento.A chacina aconteceu na casa do secretário Municipal de Obras da cidade, José Maria Ferreira, que estava viajando com a mulher e os três filhos. As vítimas, Ciro Nunes Gonçalves, de 83 anos, Ambrosina Maria Gonçalves, de 75 anos, sogros do secretário, sua cunhada Maria da Silva Gonçalves, de 48 anos, e a filha dela, Caroline Loraine Gonçalves Rocha, de 9 anos, levaram facadas em diversas partes do corpo e foram degolados. O assassino Teteco é filho de Maria da Silva e, portanto, neto de Ciro e Ambrosina e irmão de Caroline.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.