Polícia prende casal acusado de atear fogo em taxista em SP

Crime ocorreu em setembro deste ano, na zona leste da capital paulista; vítima morreu na quinta-feira

Elvis Pereira, estadao.com.br

05 de dezembro de 2008 | 14h18

A Polícia Civil prendeu em Garanhuns, a 229 km de Recife, Osmar da Rocha, de 31 anos, e Rita de Cássia Monteiro, de 30 anos, acusados de atear fogo no taxista Reinaldo Bezerra de Lima, de 45 anos, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). O crime ocorreu em 28 de setembro deste ano, no Conjunto Habitacional Teotônio Vilela, zona leste de São Paulo. O casal teria queimado o taxista para mostrar a irmã de Rita que poderiam fazer o mesmo com ela. Acompanhados pelo filho menor, de 15 anos, o casal combinou uma corrida com Lima até o shopping Aricanduva. Perto do local, os passageiros pediram para serem deixados em outro endereço: Rua Teodoro Riccio. Chegando à via, Rita agarrou o motorista pelo pescoço enquanto Rocha jogou gasolina no Siena vermelho e na vítima. Em seguida, atearam fogo. O taxista conseguiu sair do carro e foi levado pelos bombeiros ao Hospital São Mateus. De acordo com a SSP, ele morreu na quinta-feira, 4. O adolescente foi encaminhado ao Conselho Tutelar.

Tudo o que sabemos sobre:
SSPviolênciacrimeGaranhunsSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.