Polícia prende ladrões de cabos telefônicos em SP

Foram presos por volta das 2h desta madrugada quatro homens responsáveis por furtos de fios e cabos telefônicos de galerias subterrâneas da Telefônica na região dos Jardins, Centro-Sul da capital paulista. Adílson Cardoso dos Santos, 37; Sérgio Alves da Silva, 23; e Clécio Dantas da Costa, 30, foram detidos por agentes da equipe 3 do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, na esquina da Alameda Joaquim Eugênio de Lima com a Alameda Santos. O cabeça da quadrilha, Adílson Vieira de Ataíde, de 33 anos, foi detido em sua casa, no bairro de Guaianazes, no extremo Leste da capital paulista após a prisão em flagrante dos três comparsas."Todo o modo de como furtar os fios e a localização deles eram fornecidos por Adílson que trabalha numa empresa terceirizada prestadora de serviços para a Telefônica", revelou a delegada Kelly Cristina César de Almeida, do 78º Distrito Policial, dos Jardins. Adílson trabalha atualmente na Intercom, mesma prestadora de serviço onde já trabalhou Sérgio, um dos dois detidos no local do furto. "Fazíamos o patrulhamento de rotina quando estranhamos o caminhão parado na esquina", disse o investigador Rubens, do GOE, auxiliado na prisão em flagrante pelo colega Daniel.Os policiais apreenderam uma guilhotina e um machado, usados para o corte do cabo, que era feito a cada três metros; além de uma corda, que era amarrada no cabo e puxada pelo caminhão. A delegada entrou em contato com a Tel-Sul, empresa prestadora de serviços da Telefônica que atua na região, e foi informada que as linhas de telefone não foram afetadas naquele trecho porque esses cabos, segunfo a empresa, estavam desativados. "Acredito que estes rapazes possam estar envolvidos em outros furtos de cabos na região dos Jardins em razão de casos anteriores já registrados aqui. Inclusive todos os detidos já tinham passagem por furto", acrescentou a delegada.Cerca de 100 quilos de cabos já haviam sido cortados pelo trio quando os agentes do GOE realizaram o flagrante. Os criminosos iriam retirar o cobre dos cabos e vender para os chamados "ferros-velhos". "O quilo do cobre, segundo o que apuramos, sai em torno de 15 reais", disse o investigador Rubens. Ainda segundo a delegada, no momento da prisão, Adílson, Sérgio e Clésio estavam com uniformes de uma prestadora de serviços da Telefônica. Eles foram indiciados por tentativa de furto qualificado e formação de quadrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.