Reprodução|Google Street View
Reprodução|Google Street View

Polícia prende mãe acusada de tentar vender bebê para comprar crack

A dependente química de 29 anos foi detida após denúncia anônima, em Barra dos Coqueiros, na região metropolitana de Aracaju (SE)

Antônio Carlos Garcia, especial para O Estado, Especial para O Estado

25 de setembro de 2017 | 16h09

ARACAJU - Policiais do Grupo de Ações Tática do Interior (Gati) prenderam, neste final de semana, no município de Barra dos Coqueiros, na região metropolitana de Aracaju,  a dependente química Amarílis Santos Nogueira, 29, que tentava vender a filha, ainda bebê, para comprar crack. O Gati chegou até a mulher depois de denúncia de populares que informaram que Amarílis estava oferecendo a menina.

O trabalho do Gati foi feito em parceria com o Conselho Tutelar da Barra. Os policiais foram informados que a Justiça já havia determinado a busca e apreensão da bebê, concedendo a guarda provisória à sua avó materna. A polícia apurou, também, que Amarílis já havia ameaçado de morte a própria mãe.  Com Amarílis foi encontrada uma porção de maconha, quatro cachimbos e um papelote. Ela  foi conduzida da Delegacia Plantonista da Zona Norte para providências.

No site do Tribunal de Justiça de Sergipe, ao consultar o número do processo que determina a busca e apreensão da bebê, a indicação é que  o caso corre em segredo de Justiça. No telefone indicado para o Conselho Tutelar da Barra dos Coqueiros a ligação não chega a ser completada.

São Cristóvão.  No município de São Cristóvão, o Gati apreendeu 102 pinos de cocaína, 11 porções de maconha, um revólver calibre 38 com quatro munições intactas, duas motocicletas irregulares. Todo esse material estava com  Gilson dos Santos, que foi encaminhado à delegacia.

No domingo, o Gati realizou policiamento ostensivo efetuando abordagens e buscas pela região do Baixo São Francisco (Propriá, Cedro, São Francisco, Neópolis, Pacatuba, Brejo Grande, Ilha das Flores).  Contabilizando ao final 47 veículos de passeio, cinco ônibus de transporte coletivo e 122 transeuntes abordados.

Mais conteúdo sobre:
CrackEspírito Santo [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.