Polícia prende ?Nego Bom?, "Cobra" e outros

Foram presos nesta segunda-feira cinco dos acusados de participarem da maior chacina já registrada em Pernambuco. Um deles tem 15 anos. O líder, Flávio Cristiano José Passos, 20 anos, conhecido como "Nego Bom", procurado pela polícia, confessou já ter praticado 30 homicídios.Uma de suas vítimas foi uma namorada de 13 anos, de nome Jane. Com a prisão, apenas mais um integrante da quadrilha - também menor - está foragido. Quatro delegados foram encarregados do caso, que envolveu 50 homens das polícias militar e civil.A chacina ocorreu na noite da última quarta-feira, na favela Maclaren, em Rio Doce, município metropolitano de Olinda, quando oito rapazes, de idade entre 14 e 26 anos, foram mortos a tiros. Eles jogavam dominó, e os seis homens armados e encapuzados chegaram atirando, sem dar tempo para fuga ou defesa.Além de Nego Bom, foram presos o seu principal comparsa, Washington José da Silva, 20, o "Cobra", Émerson Cursino de Souza, 20, Edílson Carneiro da Cruz e E.F.G.S., apelidado de "Novinho". Novinho confessou à polícia, em seu depoimento, ter matado mais de 30 pessoas.Nego Bom e Cobra têm crimes ligados a briga por ponto de tráfico. Eles foram presos em flagrante, na sexta-feira, pela prática de outro homicídio, sem que a polícia tivesse conhecimento da sua conexão com a chacina. Através deles, a polícia chegou aos outros.De acordo com o depoimento dos criminosos, eles procuravam três traficantes na favela Maclaren: Maria Roqueira, Marcelo Galego e Tovinho. Não encontraram, mas viram um traficante, "Mago", no jogo de dominó. Os outros morreram para não serem testemunhas. Eles não disseram quem seria o "Mago" entre os oito mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.