Polícia prende quadrilha que assaltava lojas no RS

Investigação que durou oito meses deteve quatro pessoas; um dos bandidos foi morto

Solange Spigliatti, Agência Estado

11 de novembro de 2008 | 09h07

Quatro pessoas pertencentes a uma quadrilha que assaltava shopping centers, lotéricas, postos bancários e bingos na região metropolitana de Porto Alegre, foram presas e uma outra morreu durante um tiroteio com a polícia, nos últimos 20 dias, no Rio Grande do Sul, segundo a Polícia Civil. Após oito meses de investigações, os agentes da 3ª Delegacia de Polícia de Canoas desarticularam a quadrilha, que praticou mais de 15 delitos, tendo assaltado o Shopping Bourbon de Canoas, o Shopping Center Canoas, duas vezes o posto do Bradesco na Ulbra, e cerca de dez lotéricas em Canoas, Porto Alegre, Gravataí e Vale dos Sinos, além de duas empresas em São Leopoldo e Novo Hamburgo. Dois suspeitos foram detidos em Canoas, um em Alvorada e um em Gravataí, além de um quinto componente do bando que foi morto após troca de tiros com policiais civis. Durante a ação, foram apreendidos revólveres, pistolas, uma espingarda calibre 12, coletes à prova de balas, munição 7.62 para fuzil e três veículos, um Astra e um Corsa clonados e também um Golf. As apreensões ocorreram na cidade de Novo Hamburgo. Segundo o delegado Moacir Firmino Bernardo, titular da 3ª DP de Canoas, a facção se escondia em apart hotéis situados no Complexo Universitário próximo à Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas. Eles se faziam passar por universitários para não chamar a atenção da polícia. Conforme o delegado, o bando também simulava falsas blitze em casas de jogos de caça-níqueis e bingos. Os bandidos chegavam às casas trajando jaquetas e portando carteiras falsas da Polícia civil. Após arrombar os equipamentos, os criminosos roubavam todo o dinheiro e lacravam as máquinas utilizando falsos lacres, bem como brasão e o timbre da Polícia Civil. Os capturados foram identificados através de análise de circuito de câmeras dos estabelecimentos roubados e diversas diligências nos municípios de Alvorada, Gravataí, Porto Alegre, São Leopoldo e Novo Hamburgo. Todos os presos foram conduzidos ao Presídio Central, na Capital. De acordo com o delegado, as investigações prosseguem para prender outros três indivíduos que integram a quadrilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.