Polícia prende seqüestrador de 60 anos e liberta vítima

A Secretaria da Segurança Pública divulgou hoje mais um caso de seqüestro, crime que registrou maior índice de aumento no Estado. O seqüestro foi articulado por um homem de 60 anos, fato que surpreendeu a própria polícia. Na maioria dos casos, os seqüestradores têm, em média, 25 anos.A vítima, um comerciante de 72 anos, passou 18 dias sendo agredida pelos criminosos no cativeiro. No momento da libertação, dois bandidos foram mortos pela polícia. Outros dois foram presos e seis são procurados.O comerciante foi seqüestrado às 18h30 do dia 11, quando saía de sua loja no Brás, região central. No mesmo dia, os bandidos ligaram para a família e exigiram R$ 1 milhão de resgate. Avisaram que, se a polícia fosse acionada, a vítima morreria.Somente no dia 17, a Divisão Anti-Seqüestro (DAS) foi acionada pela família. Ontem, durante as investigações, foi preso um ex-prestador de serviços para a empresa da vítima, o eletricista Luis Fernando Carvalho, de 60 anos. Ele não tinha passagens pela polícia. "É impressionante que um homem decida cometer um crime hediondo aos 60 anos", disse o diretor do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), Godofredo Bittencourt.Após a prisão de Carvalho, a DAS chegou ao cativeiro, na Rua Benjamim José Antônio, na zona sul. "Os bandidos iniciaram um tiroteio. Acabaram mortos", descreveu o diretor da DAS, Wagner Giudice. Nenhum policial foi ferido. O empresário foi encontrado debilitado e com escoriações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.