Polícia prende seqüestrador do herdeiro da Kalunga

Policiais da Delegacia Anti-Seqüestro (DAS) de Sorocaba, a 92 km de São Paulo, prenderam nesta sexta-feira, 20, Josué José Gomes, de 37 anos, membro da quadrilha que seqüestrou, em dezembro último, o empresário Mário Sérgio Garcia, de 53 anos, herdeiro da rede de papelarias Kalunga. Gomes participara também do seqüestro da família Nakae, em outubro do ano passado, em Ibiúna. Ele estava sendo monitorado pela polícia e foi preso na zona rural de Vargem Grande Paulista, quando fazia orçamento para um serviço de marcenaria. Ao ser abordado, Gomes não se opôs à prisão. Ele foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba. Gomes é irmão da também seqüestradora Miriam José Gomes, considerada a "cabeça" da quadrilha, presa no início do ano também por participação no seqüestro de Garcia. Segundo o delegado Humberto Urban Filho, Josué era o negociador do bando. "Ele fazia contato com as famílias para negociar o resgate." Uma das características do bandido era a rapidez nas negociações, por isso a quadrilha não costumava manter as vítimas por muito tempo em cativeiro. "Ele logo descobria quanto a família podia pagar e fechava o negócio." A família Nakae - Margarete Sayuri Nakae e duas filhas de 7 e 11 anos - ficou apenas 24 horas em cativeiro e foi libertada após o pagamento do resgate. O empresário Garcia, no entanto, ficou seis dias em poder dos bandidos e também pagou resgate para ser libertado. Além dos dois irmãos, outros integrantes da quadrilha - Roberto Paulo Bezerra e Cléber Gomes Lisboa, o "Rubão"- estão presos. Um quinto integrante, Adailton de Oliveira Vargas, continua foragido. O bando é acusado de também agir em roubos de cargas nas regiões de Sorocaba e Jundiaí.

Agencia Estado,

20 Abril 2007 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.