Polícia prende suspeito de matar policiais na Fiocruz

A polícia prendeu hoje um dos suspeitos de atirar contra policiais e vigilantes na porta da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no dia 1º de maio. Anderson Vasconcelos da Conceição, de 29 anos, conhecido como Gatinho, foi localizado no Hospital Rocha Faria, em Campo Grande. Ferido com 12 tiros, ele registrou-se no hospital com nome falso no dia 5. Ele nega e, apesar do número de balas, justificou os ferimentos dizendo-se vítima de balas perdidas.Policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) que efetuaram a prisão disseram que o traficante foi ferido na troca de tiros com os homens do Batalhão da Maré na Fiocruz, quando dois PMs e dois vigilantes morreram. Segundo os policiais, os PMs sobreviventes já reconheceram o bandido. A escolta foi reforçada no Rocha Faria e ele deve ser transferido para o hospital penitenciário em breve. Um médico contou que, após quatro horas de cirurgia, o criminoso ainda tentou arrancar o dreno para fugir.Em Campo Grande, na zona oeste, policiais militares se surpreenderam ao prender outros dois PMs que tentaram matar um colega. O sargento Joel Anilson de Souza Brito, de 48 anos, foi baleado quando deixava o Batalhão da PM em Bangu, onde prestava serviço. O carro dele foi fechado por outro, dois homens desceram e dispararam. Alertados por moradores, PMs do Regimento de Polícia Montada conseguiram detê-los e identificaram o sargento Carlos Henrique da Silva, do mesmo batalhão da vítima, e o soldado Marcos Ferreira da Luz, do Grupamento Especial de Presídios. Detidos no batalhão de Bangu, eles devem responder a inquérito da corregedoria interna. Internado no Hospital da PM, Joel está fora de perigo e consciente.Na Favela do Jacarezinho, na zona norte, policiais militares voltaram a apreender armas hoje. Um homem foi preso com umagranada, uma banana de dinamite, uma pistola calibre 40 e pequena quantidade de cocaína e maconha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.