Polícia prende suspeito de sequestrar professora no Rio de Janeiro

Vítima saía de casa, quando foi abordada por dupla que se passava missionários evangélicos

Central de notícias,

05 de setembro de 2011 | 17h33

SÃO PAULO - A Polícia do Rio de Janeiro prendeu no último sábado, 3, Diego Benedito Duarte, de 25 anos, suspeito de sequestrar uma professora no dia 5 de julho no bairro Vale dos Esquilos, em Petrópolis, na Região Serrana do Estado.

No dia do crime a professora saia de casa, quando uma dupla que se passava por missionários de uma igreja evangélica, na posse de um revólver, abordou a vítima no momento em que ela abria a porta de seu carro.

Ela foi levada ao cativeiro na Rua Vicenzo Rivetti, bairro Carangola, onde os criminosos entraram em contato com o marido dela e exigiram uma quantia de R$ 300 mil reais para libertá-la.

Após receberem informações sobre o paradeiro do veículo da vítima, Policiais Militares perseguiram o automóvel que estava com um dos sequestradores. Ele bateu com o carro no muro de uma residência e em um barranco ao entrar derrapando em uma curva fechada. O criminoso deixou o carro para trás e fugiu. Diversos objetos da vítima e dos sequestradores foram encontrados dentro do veículo, entre eles o celular utilizado pelos criminosos para fazer contato com a família da professora.

O outro criminoso estava caminhando com a vítima, quando uma viatura se aproximou. Ele libertou a professora, mas conseguiu escapar.

Depois de perícia no carro, identificou-se que aparelho e chip utilizados pelos bandidos era produto de um roubo, ocorrido no dia primeiro de julho, contra motorista e cobrador de uma empresa de ônibus no bairro Jardim Salvador.

De acordo com o delegado titular Marcello Maia, Diego informou em depoimento que quando eles estavam escondidos no estado de Goiás o tio faleceu, pois tinha diabete crônica e não estava se tratando. O delegado disse também que esta informação será verificada junto à polícia de Goiás. Ainda segundo o delegado, Diego confessou ter praticado vários roubos à coletivos na cidade de Petrópolis. Ele foi autuado por extorsão mediante sequestro e roubo no interior de coletivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.