Polícia prende suspeito de tentar explodir delegacia

Depois de quase dois anos de procura, policiais de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, conseguiram prender o mentor intelectual de uma atentado à delegacia Seccional daquela cidade. Em 29 de setembro de 2004, criminosos ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC), deixaram em frente ao prédio daquela delegacia, à Rua Albert Einstein, no Jardim Celeste, um automóvel Apolo contendo grande quantidade de dinamites.A ação criminosa foi descoberta e os dinamites inutilizados, antes de explodirem. Criminosos detidos identificaram Luciano Conceição Rodrigues, de 31 anos, conhecido por "Vida Louca", como sendo quem comandou a operação e, desde então havia mandado de prisão para ele.Nos últimos três meses, novas informações sobre esse criminoso chegaram à Delegacia Seccional de Taboão da Serra e teve início uma operação coordenada pelo delegado Raul Godoy Neto, titular do Setor de Investigações Gerias (SIG). Os policiais obtiveram informação de que, na noite de sexta-feira, "Vida Louca" se encontraria com um traficante no shopping center da cidade. Cerca de 30 agentes policiais participaram do cerco ao procurado. Ao receberem voz de prisão, ele e André Nunes Lima, de 30 anos, que estavam desarmados, não tiveram como fugir.Quatro outros homens que estavam com eles também foram detidos e levados à Delegacia Seccional. Com André foram encontrados 20 gramas de cocaína, cuja pureza indica se tratar de amostra para negociação. Por isso, ele foi autuado em flagrante por tráfico de entorpecente e não como usuário de droga. Luciano, além de ser capturado por conta do mandado de prisão, também foi autuado por associação ao tráfico. Com ele foram encontrados R$ 6.437, 00 em notas miúdas, que, para a polícia, podem ser resultado de coleta nos pontos de venda de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.