Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Polícia prende suspeitos de matar turista holandês em São Luís

Ronald Wolbeek foi assassinado com tiro no peito dentro do veleiro em que viajava com a mulher; um terceiro envolvido é procurado

Diego Emir, Especial para o Estado

20 de fevereiro de 2015 | 13h20

SÃO LUÍS - Dois suspeitos de assassinarem o turista holandês Ronald Wolbeek, de 60 anos, no domingo, 15, em São Luís, foram presos nesta sexta-feira, 20. A informação foi confirmada pelo delegado Jeffrey Furtado. "Essas pessoas estão prestando esclarecimentos. Elas já têm, inclusive, mandados de prisão por assalto. Mas é preciso tempo para que a gente possa continuar a investigação", afirmou o delegado, que revelou existir um terceiro suspeito sendo procurado.

Enquanto isso, a mulher de Wolbeek, Maria Rawi, de 69 anos, está morando de favor em uma pousada no bairro do Araçagy. Ainda abalada com a morte do marido, a viúva disse estar insatisfeita com as investigações da polícia, pois ela ainda afirma que vem sendo tratada como suspeita e não como vítima. Ela está com a conta bancária e o cartão de créditos do marido bloqueados. No domingo, ela foi submetida a exames residuográfico e toxicológico.

O corpo de Ronald foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) e será cremado, atendendo um desejo da família. Somente após cremação, os restos mortais devem ser transportados para a Holanda. As despesas do funeral foram avaliadas em R$ 6 mil.

Na madrugada de domingo, Ronald Wolbeek foi assassinado com um tiro no peito dentro do veleiro em que viajava com a mulher. O casal estava no Brasil desde dezembro e havia chegado à Baía de São Marcos, um dia antes do crime.

Maria Rawi contou que o casal saiu da Holanda em meados de setembro, e passou por Bélgica, França, Portugal, Espanha, Ilhas Canárias e Cabo Verde. Os dois pretendiam seguir para o Amazonas, a Guiana Francesa e o Suriname.

Tudo o que sabemos sobre:
MaranhãoSão LuísViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.