Polícia prende suspeitos de matar vascaíno em briga de torcidas no Rio

Diego Martins Leal, de 30 anos, foi assassinado em um bar antes do jogo entre Flamengo e Vasco

Agência Estado,

20 Agosto 2012 | 10h08

Texto atualizado às 16h30.

RIO DE JANEIRO - A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira, 20, dois suspeitos do assassinato de Diego Martins Leal, de 30 anos, torcedor vascaíno morto em confronto com rubro-negros antes do clássico entre Flamengo e Vasco, na tarde de domingo, 19. Alessanderson Piedade Motta, de 28 anos, e Daniel Monteiro Abreu, de 27, estão presos na Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, e vão responder por homicídio qualificado por motivo fútil.

Se condenada, a dupla pode pegar de 20 a 30 anos de prisão. Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, duas de cinco testemunhas identificaram Alessanderson e Daniel como autores do crime. Diego foi atingido por quatro tiros e recebeu múltiplas facadas.

Um ônibus vindo de Resende, no Sul Fluminense, se dirigia ao Engenhão quando os torcedores rubro-negros, membros da mais violenta facção organizada flamenguista, avistaram um grupo de vascaínos em um bar. Na confusão, Diego foi encurralado em um bar, onde foi assassinado.

"Torcida organizada funciona desta forma. São eles contra a gente e a gente contra eles. Uma vez mataram um amigo nosso e ninguém foi preso", disse Daniel.

De acordo com Barbosa, mais pessoas serão ouvidas. "Isso é lamentável, é algo inaceitável. Vamos continuar a investigação e tentar identificar outras pessoas que tenham participado do crime", disse Barbosa.

Mais conteúdo sobre:
vascaíno suspeitos matar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.