Polícia prende traficantes ligados a Elias Maluco

A polícia prendeu hoje dois traficantes ligados à quadrilha de Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, principal suspeito do assassinato do jornalista Tim Lopes. Os criminosos estavam na Favela de Manguinhos, na Zona Norte do Rio. Márcio da Silva Matos, de 24 anos, o Marcinho Muleta, gerente do tráfico de drogas, está indiciado no mesmo processo em que o cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, é investigado por associação para o tráfico de drogas. Muleta estava com seu comparsa, Felipe Ribeiro da Silva, de 22 anos, o Orelha.Os criminosos estavam escondidos num barraco na parte central da favela. Os policiais do 22º Batalhão da PM (Bonsucesso) já tinham a informação de que o local era usado para esconderijo dos traficantes. "Foi uma operação rápida. Não houve tempo de reação dos criminosos", afirmou o comandante Antônio Augusto Carrijo.Com Muleta, a polícia apreendeu um fuzil M-16, um AR-15, três pistolas 9 mm, e uma pistola calibre 40 - esta última arma pertencia a um policial civil assassinado há cerca de 15 dias. Muleta não tem a perna esquerda e se locomove com uma sofisticada prótese. "Ele tem a marca dos que fazem parte do bando de Elias Maluco: é violento, frio e calculista", afirmou Carrijo, que considerou a prisão um "grande passo" para chegar a Maluco.O inspetor Daniel Gomes, da 22.ª Delegacia de Polícia (Penha), que apura o assassinato de Tim Lopes, informou que não há indícios da ligação de Marcinho Muleta com a morte do repórter. "Ele faz parte da quadrilha, mas no inquérito que apura a morte de Lopes não há citação ao nome dele", afirmou o inspetor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.