Polícia procura assaltantes que mataram engenheiro em São Paulo

Ainda não foram localizados pela polícia os dois homens responsáveis pela morte do engenheiro gaúcho Juliano Juliani Simões, de 28 anos. Ele foi baleado durante um assalto, na noite de domingo, no saguão do Transamérica Flat 21St Century, na Alameda Lorena, nos Jardins, região nobre da capital paulista.A polícia está em posse da fita do circuito interno de segurança, na qual ficaram registradas as imagens deste assalto. O criminoso usava um boné, mas é possível ver sua fisionomia. Testemunhas contam que estava na garupa de uma motocicleta Honda Twister vermelha, cujas placas não foram anotadas. Com o comparsa pilotando a moto, seguiram um taxi com três passageiros, que desembarcaram à porta daquele apart-hotel.Antes de atacar Simões, o assaltante entrou no saguão e puxou pelo braço uma das três pessoas que haviam chegado no taxi. A vítima foi obrigada a entregar a carteira, um aparelho celular e um relógio.Em seguida, o ladrão voltou ao saguão, onde Juliano Simões realizava o check-in. Agarrou a bolsa que ele trazia à tiracolo e estava saindo, quando a vítima o perseguiu. Já à porta do flat aconteceu o disparo, atingindo engenheiro, que trabalha em uma empresa do Rio Grande do Sul e veio a São Paulo para participar de um curso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.