Polícia reforça segurança para evitar resgate em MG

As polícias Civil e Militar de Minas reforçaram a segurança nas imediações e no prédio da Delegacia de Furtos e Roubos de Belo Horizonte, no bairro Barro Preto, região central, onde está preso desde terça-feira o criminoso paulista Rodrigo Otávio Catapane, de 24 anos. Catapane é membro da quadrilha de bandidos de São Paulo, chefiados por Carlos Alberto de Andrade, o "Body Glove", de 23 anos, que, no início da semana, seqüestrou 14 pessoas de três famílias como parte do plano fracassado de assaltar uma agência do banco Itaú, na capital.De acordo com o secretário de Segurança Pública do Estado, Márcio Domingues, a segurança foi aumentada - carros da Polícia Civil bloquearam os acessos à Delegacia e homens armados circularam todo o dia pelo local - para impedir uma suposta tentativa de resgate de Catapane, único membro do grupo de cerca de 15 criminosos a ser detido. Do bando, dois morreram em confronto com militares: Body Glove, que era considerado um dosa ladrões mais procurados do País, e Marcelo da Silva Soares, de 29 anos.O restante da quadrilha escapou, provavelmente para o interior mineiro ou outro Estado, apesar do cerco montado pelos policiais nas principais saídas da cidade. Hoje, policiais civis de São Paulo e do Distrito Federal, onde os liderados de Body Glove assaltaram um banco no ano passado, participaram com os colegas mineiros de mais um interrogatório de Catapane. De acordo com o delegado de Furtos e Roubos Pedro Cardoso, de Brasília, o bando está desfalcado de pelo menos seis pessoas, presas ou mortas em confrontos com policiais.Cardoso também assegurou que a polícia já tem os nomes e as fichas de todos os integrantes ainda na ativa da quadrilha, que vem agindo há vários meses em diferentes Estados, sempre com as mesmas características - seqüestrando funcionários de joalherias, agências bancárias e outros estabelecimentos, e seus parentes, com o objetivo de promover os assaltos. Com as mortes de Body Glove e de Marcelo Soares, em Minas, e as prisões recentes, em São Paulo, de José Carlos Rabelo, o "Pateta", de Leandro Fiúza e de Luciano Santos, o "Ficha", a liderança do grupo estaria agora, segundo o delegado, a cargo de José Reinaldo Girotti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.