Polícia retoma negociações com presos rebelados em Salvador

No segundo dia de rebelião, presos reivindicam volta de detentos transferidos para outra penitenciária

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

31 de julho de 2007 | 09h39

As negociações com os presos rebelados desde domingo, 29, voltaram a ser feitas na manhã desta terça-feira, 31. Desde a tarde de domingo, 719 detentos da Penitenciária Salvador, no Complexo Penitenciário de Mata Escura, estão rebelados. O tumulto começou após uma tentativa frustrada de fuga, quando dois presos foram baleados e cinco pessoas foram mantidas reféns, três agentes penitenciários e dois detentos. Segundo a Secretaria de Justiça, cerca de 150 parentes e visitantes que estavam no presídio no momento da rebelião continuavam no local, em solidariedade aos rebelados. Além disso, parentes de presos continuavam em frente ao complexo. Os presos reivindicam o retorno de 51 presos que, depois da fuga do traficante conhecido como 'Piti', foram transferidos para a Unidade Especial Disciplinar (UED), em um regime de segurança máxima. Apesar da reivindicação, os detentos aceitaram acabar com a rebelião caso Maurício, conhecido como Cabeção, e Joseval Bandeira, dois dos 51 transferidos, retornem ao complexo. Na tarde de segunda, parentes dos presos tentaram fechar o acesso ao presídio, com barricadas. Os policiais desfizeram o bloqueio e houve protesto.

Tudo o que sabemos sobre:
rebeliãosistema penitenciário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.