Polícia Rodoviária alerta para chuvas e buracos nas estradas

Rodovias federais estão sob operação desde o dia 20; no Natal, MG registrou mais mortes em acidentes

Agência Brasil,

29 de dezembro de 2008 | 16h46

A orientação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para quem vai viajar pelas estradas durante o período de final de ano é atenção redobrada aos buracos provocados pelas chuvas que atingem quase todo o País. O inspetor De Lucas Barbosa avaliou que as pistas, de maneira geral, estão em boas condições, mas que os motoristas devem ficar alerta aos estragos provocados pela grande quantidade de água. "A chuva trouxe bastante buracos e quem for trafegar, vai sair sabendo que existem os buracos, que há chuva e que isso é um agravante. É um cuidado a mais durante o deslocamento."  Veja também:Estradas federais de SP têm menos mortes no Natal de 2008MG e SP registram 91 mortes durante o feriado de NatalEstradas do RJ tem 200% mais mortes no feriado de Natal  "Quando você pega uma tempestade, aconselhamos as pessoas a procurarem um lugar seguro como um posto de fiscalização, de combustível, encoste o veículo e ligue o alerta. Nunca use o alerta em movimento. Aconselho farol baixo sempre, além de manter uma distância segura do veículo a frente. Se for necessário ultrapassar, ultrapasse um veículo de cada vez e viajar à noite, só em último caso", alertou o inspetor, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional. Desde a meia-noite do dia 20, os 61 mil quilômetros de rodovias federais estão sob esquema especial de fiscalização por conta da Operação Fim de Ano, que se estende até o próximo dia 4. A idéia, de acordo com a PRF, é direcionar a estrutura de policiamento para os trechos considerados críticos nos principais corredores viários do país.  "A gente gostaria que a população colaborasse com o trabalho policial, porque com mais tranqüilidade, com certeza, os acidentes diminuem. 80% dos acidentes acontecem por causa do motorista e da direção. São colisões frontais, saída de pista, ultrapassagem indevida e tudo isso é falta de respeito à sinalização", afirmou Barbosa. De acordo com o inspetor da PRF, o Estado de Minas Gerais, em um único dia de operação, registrou 11 óbitos nas estradas federais. Já o Distrito Federal, até o momento, registrou 11 mortes e 18 feridos. "Se você contabilizar tudo, no final dessa operação, vamos ter praticamente um avião que caiu e as pessoas não têm aquela comoção toda porque parece que se acomodaram e que os acidentes fazem parte da vida. As pessoas têm que ter medo, respeito e responsabilidade na rodovia."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.