Polícia tenta esclarecer morte de estudante em Camaçari (BA)

Adolescente foi abordada quando voltava da casa de uma amiga por ocupantes de um veículo que, armados, identificaram-se como policiais e obrigaram a jovem a entrar no carro

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

30 de junho de 2011 | 05h19

SÃO PAULO - A Polícia Civil tenta esclarecer a morte da estudante Adriane de Melo de Jesus, de 16 anos, cujo corpo foi encontrado, com um disparo de arma de fogo no ouvido direito, na tarde de quarta-feira, 29, num matagal junto à Colônia Boa União lote 03, próximo à Estrada do Coco, no bairro de Vila Abrantes, área rural de Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

 

A adolescente, segundo a polícia, que tem como principal testemunha o namorado da vítima, Rodolfo, de 17 anos, foi sequestrada por volta das 20h30 de terça-feira, 28, quando voltava da casa de uma amiga. O casal foi abordado por ocupantes de um veículo escuro, possivelmente um Fiat Pálio. Armados, identificaram-se como policiais e obrigaram a jovem a entrar no carro, ordenando que o rapaz corresse.

 

O celular da vítima foi encontrado na mesma estrada. Adriane cursava o 2º ano do Colégio Estadual Vila de Abrantes. Por enquanto, a polícia descarta hipótese de sequestro com o objetivo de resgate, pois nenhum telefonema foi feito aos pais da jovem. A família dela, segundo a polícia, leva uma vida humilde.

Tudo o que sabemos sobre:
Bahia, Camaçari, violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.