Polícia tumultua desfile da Mangueira entre as campeãs

Uma operação policial tumultuou o final do desfile da escola de samba Mangueira no Desfile das Campeãs, na noite de sábado, 24, no Sambódromo. Enquanto a terceira colocada, a Verde-e-Rosa encerrava o seu desfile, uma operação da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil foi desencadeada para prender um homem foragido da Justiça. Os policiais, no entanto, detiveram o homem errado, provocando confusão no final do desfile. A ação policial começou a partir do primeiro recuo da bateria. Eles tinham a informação de que entre os ritmistas estava um homem chamado Manoel Ferreira, que é procurado pela polícia. Os policiais confundiram o motorista de caminhão Wilson Santana, de 40 anos, que toca caixa na bateria da Mangueira, com o foragido. Quando ele foi abordado por quatro policiais fardados, os companheiros tentaram interceder para que ele não fosse levado. A confusão provocou um tumulto que deixou alguns instrumentos quebrados, mas ninguém ficou ferido. Testemunhas disseram que os policiais ameaçaram prender alguns integrantes que tentaram interceder por Santana por desacato, entre eles o compositor Ivo Meirelles, diretor da bateria. Santana foi levado para o Batalhão de Choque da PM, próximo ao sambódromo, onde os policiais então descobriram que houve um engano. O motorista prestou depoimento na delegacia da Cidade Nova (6º DP) e foi liberado. Procurado pelo Estado, o delegado Rodrigo Oliveira, coordenador da Core, não foi encontrado. A direção da Mangueira também não se pronunciou sobre o assunto.

Agencia Estado,

25 Fevereiro 2007 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.