Policia vai intensificar fiscalizações a táxis em Curitiba

Medidas visam 'dar uma resposta à ansiedade' dos taxistas após caso de linchamento na cidade

Evandro Fadel, de O Estado de S. Paulo,

24 de março de 2008 | 18h45

A Polícia Militar e a Polícia Civil do Paraná anunciaram nesta segunda-feira, 24, depois de uma reunião com o Sindicato dos Taxistas de Curitiba, que intensificarão as fiscalizações para garantir mais segurança aos taxistas e passageiros. Uma das medidas é a realização de revistas em táxis que estejam circulando durante a noite com passageiros.  Na semana passada, Eduardo Cordeiro de Lima, de 18 anos, foi morto por um grupo de taxistas após tentar assaltar um carro. Oito pessoas foram presas sob acusação de participar do linchamento. Eles foram liberados nesta segunda-feira, 24. O comandante da PM no Paraná, coronel Nemésio Xavier de França Filho, disse que a polícia já vem trabalhando com o intuito de prevenir assaltos a taxistas. "Agora vamos aumentar as ações, pois queremos dar uma resposta à ansiedade deles", afirmou.  O coronel pediu que nem taxistas nem passageiros sintam-se constrangidos, caso o carro seja abordado para uma revista. "É um dos métodos mais eficientes que temos para encontrar armas, drogas e pessoas procuradas pela Justiça", argumentou. As ações devem ser estendidas também para o interior do Paraná. O presidente do Sindicato dos Taxistas, Pedro Chalus, disse que vai informar todos os taxistas sobre as decisões tomadas na reunião. Para ele, a intensificação de operações de segurança, incluindo a revista nos carros, deve trazer mais tranqüilidade para os motoristas. "Não vai haver rejeição, pois é exatamente o que os taxistas queriam", afirmou Chalus. De acordo com o sindicato, Curitiba tem 2.253 táxis.

Tudo o que sabemos sobre:
taxistasCuritiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.