Policiais apreendem drogas em rodovias de MS

O Departamento de Operações de Fronteira (DOF) apreendeu 600 gramas de crack (cocaína em pedras) com duas mulheres que estavam em um ônibus que faz a linha Corumbá-Campo Grande. A droga estava dentro de uma boneca que era transportada por Maria do Carmo da Silva, de 39 anos, e Silmara de Siqueira, de 30, e seguiria para a cidade de Taubaté (SP), segundo informaçõe da Delegacia Regional da Polícia Federal em Corumbá, no Pantanal de Mato Grosso do Sul.A apreensão foi feita quando o coletivo foi vistoriado em uma barreira policial situada na localidade conhecida por Copo Seco, na rodovia BR-262, na saída de Corumbá. O brinquedo estava no compartimento de bagagem dentro da mala de viagem de Maria. Ela culpou a colega, afirmando desconhecer o conteúdo da boneca.Apreensão de maconhaEm Ponta Porá, extremo sul de Mato Grosso do Sul, na divisa com o Paraguai, patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal e agentes da Polícia Federal, apreenderam, na manhã deste domingo, uma carga de 1.593 quilos de maconha prensada, produzida no país vizinho. A droga estava sob uma carga de madeira aparelhada, em um caminhão Mercedes-Benz modelo com placa de Joinville (SC), onde seria descarregado.O condutor do veículo, Alan Laide Sena da Silva, 27 anos, residente em Brasília (DF), contou que estava sendo pago para levar o caminhão até Santa Catarina. Ele já tem passagem na polícia pelo mesmo crime, condição que agravou sua situação. A Polícia Federal de Ponta Porá, acredita que o acusado tenha ligações com a quadrilha de Jarvis Ximenes Pavão, considerado pela Senad (Secretaria Antidrogas) do Paraguai, grande traficante de maconha.Também neste domingo, em Campo Grande, por volta de 13h, Cláudia dos Santos, 27 anos, foi presa com 140 gramas de maconha e um celular, dentro da vagina. Ela tentou passar pelos agentes de segurança do Instituto Penal, mas acabou sendo barrada durante a revista.Médico e enfermeira de um posto de saúde da Prefeitura Municipal, foram até o local para retirar a droga e o telefone. Segundo os agentes, não é a primeira vez que ocorre flagrante do gênero no estabelecimento penal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.