Policiais civis de Goiás completam dez dias de greve

Categoria pede reajuste salarial e melhores condições de trabalho

Gheisa Lessa - estadão.com.br,

19 Julho 2012 | 13h49

São Paulo, 19 - Em greve desde a última quarta-feira, 11, cerca de 3,5 mil policiais civis de Goiás pedem reajuste salarial e melhores condições de trabalho. Conforme informação divulgada nesta quinta-feira, 19, pelo Sindicato dos Policiais Civis de Goiás (Sinpol-GO), a paralisação segue por tempo indeterminado.

Em nota publicada no site do sindicato, o diretor jurídico do Sinpol, Rainel Mascarenhas Rufo, afirma que o Governo do Estado concedeu aumento salarial apenas para os delegados da Polícia Civil e desconsiderou os demais agentes civis. "É essa a razão de pedirmos o que pedimos. O governo agiu covardemente desprezando os outros policiais e simplesmente fechou as negociações conosco".

Nesta quinta-feira, 19, o diretor parlamentar do Sinpol, Marcos Mendes, diz que a última assembleia da categoria aconteceu na semana passada e ainda não há previsões para uma negociação.

O Sinpol afirma que 400 profissionais distribuídos em 19 municípios e em 26 unidades interromperam quase 13 mil investigações em função da greve. Apenas ocorrências de crimes graves são registradas nos distritos policiais. No total, cerca de 3,5 mil servidores estão em greve.

Mais conteúdo sobre:
grevegoiás, policiaispolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.