Policiais civis em greve fazem carreata em Maceió

Os policiais civis de Alagoas, que estão em greve há mais de um mês, realizaram hoje pela manhã uma grande carreata pelas principais ruas de Maceió, com o objetivo protestar contra o governo do Estado, que até agora não apresentou nenhuma contraproposta às reivindicação da categoria.Cerca de 40 carros participaram da carreata, que contou ainda com a cerca de 150 policiais. Durante o trajeto, os policias realizaram três atos públicos - um em frente ao Palácio dos Martírios, outro na frente da Secretaria de Defesa Social e na porta do quiosque da Operação Policial Litorânea (Oplint). Em cada ato era denunciado a omissão do governo e a falta decompromisso no cumprimento da data-base da categoria, que reivindica um reajuste salarial de 38%, além do aumento do adicional noturno e enquadramentos nos policiais no plano de cargo e salários.Durante a passagem pela Secretaria de Defesa Social, um oficial da PM quis impedir a manifestação e entrou em conflito com as lideranças do movimento. O incidente foi contornado, depois da interferência dos diretores do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol). Na próxima terça-feira, a categoria prepara um café da manhã na praça dos Martírios, em frente a sede do governo. Em seguida, haverá uma caminhada pelas ruas centrais de Maceió. Segundo o presidente do Sindpol, Carlos Jorge da Rocha, a paralisação atinge 90% da categoria. AcidenteUm acidente com a arma de um aluno da Academia de Polícia Civil, ocorrido hoje à tarde, está sendo investigado. As primeiras informações dão conta que o revólver travou na hora do tiro, durante o treinamento, e tambor teria explodido na mão do aluno Alexandre da Silva, 34 anos, que foi atingido no olho, sendo levado para o Hospital de Pronto Socorro e transferido delá para outra clínica, onde ficou internado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.