Policiais deixam ruas do Rio para entregar flores a secretário

Cerca de 100 policiais civis e militares deixaram nesta quinta-feira o patrulhamento nas ruas e o trabalho de investigação e seguiram para o Aeroporto SantosDumont. Não se tratava de nenhuma suspeita de bomba ou de apreensão de drogas. Os policiais ? alguns armados de fuzis ? levavam flores para osecretário de Estado de Segurança Pública, Roberto Aguiar, que voltava de Brasília. A movimentação na porta do aeroporto engarrafou o trânsito ao redor do Santos Dumont e surpreendeu o próprio secretário. ?Levei um susto. Pensei que estivesse acontecendo alguma coisa no Rio?, disse.A recepção calorosa ? idéia do chefe de Polícia Civil, Zaqueu Teixeira ? não era sinal de saudade do secretário, que passou pouco mais de 20 horas emBrasília, onde participou da reunião em que foram anunciadas as medidas de combate à criminalidade no Rio. Os policiais fizeram um ato de desagravo aAguiar, que teve a competência questionada e foi chamado de ?desequilibrado? pelo prefeito Cesar Maia (PFL), depois que criminosos metralharam a sede daprefeitura.?Estamos reafirmando a autoridade do secretário, que sofreu ataques por parte de autoridades públicas. Ele vem conduzindo de forma magistral a política de segurança e estamos trabalhando muito seriamente para trazer de volta a tranqüilidade às ruas?, afirmou Teixeira. ?Autoridades públicas têm que se respeitar?. ?Reafirmaram? a autoridade de Aguiar 30 agentes de delegacias especializadas, 20 da Coordenadoria de Operações Especiais (Core), o comandante-geral da PM, coronel Francisco Braz, e outros 50 policiais civis e militares. O secretário reagiu emocionado ao ato e agredeceu o companheirismo dos colegas, definidos como ?uma grande equipe fraterna e amiga?. ?Estamos fazendo um trabalho sério em favor do Rio de Janeiro, que não pode ser turvado por políticas mesquinhas?, afirmou Aguiar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.