Policiais denunciados por tortura e morte de preso

A morte do preso Nilson Saldanha - ocorrida em julho do ano passado, dias depois de uma sessão de castigo aplicada por policiais civis aos detentos do 50º Distrito Policial - e os maus-tratos infligidos a outros 22 presos na ocasião resultaram em uma ação do Ministério Público Estadual (MPE).Três delegados, um policial civil e nove investigadores estão sendo denunciados com base na Lei da Tortura, que prevê penas duras.O caso veio à tona nesta quinta-feira, quando a Anistia Internacional divulgou em 60 países o relatório "Tortura e Maus-Tratos no Brasil".A ação foi proposta há duas semanas pelo MPE. "Individualmente, as penas podem variar de 2 a 8 anos nos casos sem morte, e de 8 a 16 anos quando há morte", explicou o promotor Arual Martins, assessor do Centro Operacional das Promotorias de Justiça do Estado.Segundo ele, a ação levou um ano para ser proposta por causa das dificuldades de apuração do crime, que envolveu 23 vítimas. "Só o inquérito policial tem 6 volumes e 1.300 páginas", observou Martins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.