Policiais do Denarc e da Corregedoria saem no tapa

Policiais do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) e da Corregedoria da Polícia Civil entraram em confronto na noite de segunda-feira, no prédio do departamento, na Rua Moncorvo Filho, zona sul de São Paulo. Corregedores e policiais do Denarc chegaram a se atracar e a sacar as armas. O motivo foi uma denúncia de que policiais do Denarc estariam extorquindo dinheiro de um traficante, fato não comprovado. Homens do Denarc interrogavam uma testemunha, que seria parente de um traficante. O advogado do rapaz, identificado apenas como Raimundo, disse à família de seu cliente que policiais exigiram dinheiro para não prendê-lo. Os parentes procuraram a corregedoria. O delegado Marcos Carneiro e três policiais da corregedoria foram até o Denarc. Os delegados Fábio Guimarães, do Denarc, e Carneiro tiveram uma forte discussão. Os dois e um investigador se atracaram. Outros sacaram suas armas. Segundo Carneiro, o caso foi um mal-entendido. "Ficou só no bate-boca". O objetivo, segundo ele, era prender o advogado, que teria inventado a extorsão. Raimundo, que recebeu um carro pelos honorários, abandonou o veículo na madrugada de hoje no Jardim Ângela, zona sul. O diretor do Denarc, Ivaney Cayres, negou o episódio. Segundo ele, não ocorreu "nada que fugisse do controle". "Estamos apenas desenvolvendo um trabalho muito sério."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.