Policiais e moradores de favela entram em confronto no Rio

Policiais militares e moradores da Favela Nelson Mandela, em Manguinhos, na zona norte, se enfrentaram na tarde desta terça-feira, depois que uma operação policial deixou dois trabalhadores feridos. Moradores tentaram fechar o trânsito na Avenida Leopoldo Bulhões para protestar contra a ação da PM, mas os policiais reagiram com bombas de gás lacrimogêneo. A população reagiu com pedras. O trânsito na Avenida Leopoldo Bulhões chegou a ser interrompido, para evitar que motoristas fossem feridos. No fim da tarde, 100 policiais ocupavam a favela.O protesto ocorreu depois que houve uma troca de tiros entre polícia e traficantes por volta de 11 horas. O conflito durou cerca de duas horas e dois operários que trabalhavam em um canteiro de obras do Favela-Bairro ( projeto da prefeitura de reurbanização das favelas) ficaram feridos. José Antônio Rodrigues da Silva, de 40 anos, e José Fernandes Batista Júnior, de 22 anos, foram atingidos nas mãos e encaminhados para o Hospital Getúlio Vargas, na zona norte. Eles não souberam dizer de onde partiram os disparos. A Polícia Militar fechou por alguns minutos a Avenida Leopoldo Bulhões, que dá acesso ao local, porque moradores mais exaltados atiravam pedras. Um menor de 15 anos foi preso e liberado em seguida após ter acertado com uma pedrada um dos dois carros da polícia atingidos. Os policiais chegaram a agredir alguns jornalistas para que não registrassem a confusão. A PM informou no fim da tarde que a situação estava "sob controle".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.