Policiais envolvidos com tráfico são presos em Belo Horizonte

A Corregedoria da Polícia Civil determinou hoje a prisão preventiva de 10 policiais acusados de envolvimento com tráfico de drogas no centro de Belo Horizonte. Eles foram denunciados pela detenta Sílvia Helena Menezes, que está presa na Penitenciária de Mulheres Estevão Pinto, na região leste da capital, e acusa o grupo de obrigar prostitutas a traficarem drogas na região central da cidade. Até o início da noite de hoje, seis policiais, entre carcereiros da região metropolitana e interior do Estado e detetives da capital, haviam sido presos. Segundo o delegado-corregedor Weser Ferreira, a prisão preventiva foi determinada com base nos crimes de formação de quadrilha e associação ao tráfico. A pena pode variar de três a oito anos de prisão. De acordo com a Corregedoria, os policiais foram identificados também por outra testemunha, cujo nome não foi revelado. Silvia foi presa há três semanas quando vendia drogas numa movimentada avenida do centro de Belo Horizonte. Na última quinta-feira, ela reconheceu fotos de dez policiais que estariam envolvidos no esquema. Ela atribuiu ao grupo de policiais o assassinato, somente neste ano, de cinco prostitutas. As mulheres foram encontradas mortas em hotéis do centro da capital. Ao todo, Silvia denunciou cerca de 20 policiais, sendo 10 civis e 10 militares. A Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa de Minas Gerais também investiga o caso. O presidente da comissão, deputado Durval Ângelo (PT), disse hoje que a prisão dos policiais abre uma "porta para identificar muitos outros policiais envolvidos com essa quadrilha".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.