Policiais fazem passeata na Baixada e interior

Policiais civis, em greve desde o dia 16, fizeram ontem manifestações em Santos, Jundiaí e Campinas. Eles reivindicam reajuste de 15% neste ano, 12% em 2009 e 12% em 2010. O governo estadual propõe até 38% de reajuste no piso salarial dos delegados e aumento de 6,2% no salário-base. Os atos nas três cidades reuniram aproximadamente 700 policiais. Cerca de 300 pessoas participaram do protesto da Baixada. O ato durou mais de três horas e ocorreu na Praça Mauá, no centro de Santos. Os policiais carregavam frases de protesto e até um caixão com a imagem do governador José Serra (PSDB). O presidente do Sindicato da Polícia Civil de Santos, Décio Clemente, comemorou o sucesso da greve. Segundo ele, a adesão no litoral é de 90%. "Hoje (ontem), o Ciretran e a Identificação aderiram à greve. Toda a polícia aderiu." Depois de uma hora, o grupo saiu em passeata até a Praça José Bonifácio, onde fica o Fórum. Em Campinas, 200 policiais civis se reuniram em assembléia para discutir a proposta do governo. Outros 200 fizeram passeata em Jundiaí. Segundo o presidente do Sindicato da Polícia Civil de Campinas e Região, Aparecido de Carvalho, os policiais acompanharam a decisão dos delegados de não aceitar a proposta. "Está muito fora do que a gente pede. O governo fala em até 38%. Se fosse isso, a gente terminaria a greve."

Rejane Lima e Tatiana Fávaro, O Estadao de S.Paulo

04 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.