Policiais federais iniciam greve em Alagoas

Os policiais federais de Alagoas iniciaram hoje pela manhã uma greve geral por tempo indeterminado. Apenas os serviços essenciais estão sendo mantidos. Eles reivindicam vencimento básico de nível superior, a exemplo dos demais agentes federais de 17 Estados que também estão paralisando suas atividades, até quarta-feira. Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Alagoas, Waldir Sá Leite, a greve foi decidida na última sexta-feira, em assembléia geral da categoria, realizada no auditório da superintendência da PF, em Maceió. "Tentamos de várias formas sensibilizar o governo para a aplicação da lei, como até agora não foi possível, entramos em greve", justificou Waldir. "O que estamos reivindicando não é aumento salarial; é o correto cumprimento da Lei 9266/96, que reconhece como de nível superior os cargos de agente, escrivão e papiloscopista", argumenta Waldir, acrescentando que para ter acesso à PF é exigido diploma de curso superior, para qualquer desses cargos. "Portanto, queremos vencimentos básicos de nível superior". Segundo o sindicalista, as diárias pagas aos policiais federais já obedecem a esse critério. Se a lei foi respeitada, garante Waldir, o vencimento básico do agente em início de carreira passaria de R$ 250,44 para R$ 465,54. Enquanto o salário básico do agente em final de carreira passaria de R$ 367,27 para R$ 554.38. Esse direito estaria garantido por lei desde 1996.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.