AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Policiais federais reclamam de falta de dinheiro

Segundo duas associações ligadas à categoria, cortes no orçamento estão obrigando a PF a frear o deslocamento de pessoal em operações nacionais

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2011 | 00h00

O orçamento do Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-fim da Polícia Federal (Funapol), inicialmente previsto em R$ 479 milhões, foi reduzido em 28%. Além disso, os gastos com diárias, transporte, hospedagem e alimentação de policiais federais em missão ou operações oficiais foram limitados a R$ 58 milhões em 2011, uma redução de cerca de 35% em relação aos R$ 89,8 milhões utilizados em 2010.

Em função disso, a PF está sendo obrigada a frear o deslocamento de policiais em operações. Os dados foram revelados ontem por entidades de classe de duas categorias de policiais federais, delegados e peritos. A Associação Nacional dos Delegados da PF e a Associação Nacional dos Peritos e Federação Nacional dos Delegados da PF realizaram levantamento sobre as limitações da corporação em decorrência de cortes no orçamento.

Segundo os federais, o Decreto 7.446, de 1.º de março, da presidenta Dilma Rousseff e ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, "limitou as despesas com diárias e passagens em 25% para as áreas de fiscalização e policiamento e em 50% para as demais áreas".

Em comparação aos gastos realizados nas mesmas áreas em 2010 (R$ 376,5 milhões para fiscalização e R$ 1.895,7 milhões para os demais setores), as reduções são de 25% e 53,7%, respectivamente. Na verba destinada exclusivamente ao custeio da PF, o corte foi de 5% de um total previsto de R$ 375 milhões.

Os federais anotam que no Portal da Transparência do Governo é possível constatar que, em 2010, a Coordenação de Administração da PF, responsável pelas grandes operações, gastou R$ 6,34 milhões em diárias. Este ano, até aqui, gastou R$ 489 mil. Ou seja, 13 vezes menos.

Delegados e peritos alertam que o Sistema Nacional de Emissão de Passaportes e de Controle do Tráfego Internacional a precisa de R$ 70 milhões "sob pena de colapso". Apontam para déficit de pessoal. Até dezembro de 2015, 1.200 policiais vão se aposentar. O êxodo de policiais aumentou: entre 2005 e 2009, 893 federais deixaram suas vagas.

A assessoria do ministro José Eduardo Martins Cardozo (Justiça) rebateu os dados. As operações da PF não estão engessadas, afirma o ministério. A pasta indica que no primeiro semestre de 2010 a PF realizou 113 operações. Este ano, no mesmo período, foram 117 ações. A assessoria de Cardozo observou que o corte atingiu outras áreas de governo e explicou que já existe um trabalho no Ministério do Planejamento para abrir concurso para agentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.