Policiais integrantes da 'Liga da Justiça' depõe no Rio

Grupo é acusado de extorquir motoristas e cooperativas de transporte na zona oeste do Estado

Central de Notícias,

14 Julho 2009 | 16h18

Quatro policiais acusados de integrar a milícia Liga da Justiça prestam depoimento na tarde desta terça-feira, 14 ,no Tribunal de Justiça do Rio. Os policiais também são acusados de extorsão. O ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, seu filho Luciano Guinâncio Guimarães, Leandro Paixão Viegas, o Leandrinho Quebra-Ossos, e Alcemir Silva, o Fumão, são acusados pelo Ministério Público de fazer parte da milícia desde 2005.

 

Segundo a denúncia, os acusados reuniam-se com o objetivo de praticar atos de extorsão a motoristas e cooperativas de transportes alternativos de passageiros que atuam na zona oeste do Estado.

 

Na época, Juarez Marcelino Dutra, dono de dois veículos de transporte alternativo, acusou o réu Alcemir de cobrado a taxa diária de R$ 44 para continuar circulando. Juarez foi morto à tiros, num posto de gasolina, na Estrada do Cabuçu, em Campo Grande, meses após fazer a denúncia.

 

Na audiência realizada na segunda-feira, 13, foram colhidos os depoimentos de quatro testemunhas de acusação e seis de defesa. Pelo MP, prestaram depoimento o delegado titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) na época da denúncia, Milton Oliveira de Azevedo; o tenente-coronel Dario Cony dos Santos, comandante do Regimento de Polícia Montada (RPMont) em 2005, e os delegados que atuaram na 35ª DP, em Campo Grande, Alberto de Oliveira Leite e Anderson Júlio D'Azevedo.

 

As testemunhas de defesa que depuseram foram o capitão da Polícia Militar Tibério Caros da Silva; o sargento Jorge Vieira; o jornalista e ex-assessor de imprensa do ex-vereador Jerominho, Marcos Alexandre de Souza Gomes, e os motoristas de van Gesse Ferreira, Nilo Botelho e André Luís de Araújo Ribeiro.

Mais conteúdo sobre:
Liga da Justiça Rio milícias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.