Policiais militares e bombeiros do RN entram em greve

Associação estima que mais de 3 mil homens paralisaram as atividades nesta terça-feira

Anna Ruth, Especial para O Estado

22 de abril de 2014 | 13h59

NATAL - O Rio Grande do Norte começou a semana após o feriado com greve dos policiais militares e bombeiros. Desde o início da manhã desta terça-feira, 22, milhares de policiais se concentram no Centro Administrativo, onde está instalado o gabinete da governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

No protesto, os policiais estampam cartazes escritos em inglês fazendo referência à Copa do Mundo e afirmando que se a categoria não tiver as reivindicações atendidas não trabalhará durante o Mundial. A associação dos praças estima que mais de 3 mil homens paralisaram suas atividades nesta terça.

Entre as reivindicações da categoria estão o pagamento dos níveis de subsídio, a implantação do auxílio alimentação e um reajuste de 56,7% no subsídio.

Para a tarde desta terça está sendo anunciada mais uma rodada de negociação entre representantes do governo do Estado e da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia MilitarBombeirosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.